PROCLAMANDO CRISTO COMO A ÚNICA SOLUÇÃO

LIVRO "JESUS É O ÚNICO" - CAPÍTULO III

LIVRO "JESUS É O ÚNICO" - CAPÍTULO III

Adquira o livro "Jesus é o Único" na loja Proclamando Cristo, acesse: www.proclamandocristo.loja2.com.br 

 

JESUS, O ÚNICO QUE 

 

TRANSFORMA O HOMEM 

 

“Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo;

tirarei de vós o coração de pedra e vos darei

coração de carne” – Ezequiel 36:26

 

 

Muito se tem estudado tentando penetrar e entender a mente dos seres humanos, e, assim, criar métodos e tratamentos para curar os desvios dos homens, desvios esses que causam males terríveis para a sociedade.

Porém para a frustração e decepção dos que se empenham nesse tipo de estudo e trabalho, todos os esforços envidados tem se mostrado bastante ineficazes, e o máximo que se consegue com essas terapias é algo meramente superficial.

Na verdade, nem um homem tem poder ou capacidade para transformar outro homem, essa cura é impossível de ser realizada por nós, pois ninguém consegue sondar aquilo que vai no recôndito da nossa alma, as coisas que estão escondidas e guardadas no fundo do nosso coração são indevassáveis e impenetráveis, e, certamente, não serão os medicamentos de última geração, as experiências extra-corpóreas, as sessões de regressão ou hipnose, as internações, ou qualquer outro tipo de tratamento que conseguirá uma mudança no comportamento dos seres humanos.

Só Jesus Cristo tem poder para fazer tal obra na vida dos homens. Esse extraordinário milagre que o querido Senhor faz é inigualável e espantoso, e acontece diariamente por todos os cantos do mundo. Basta se achegar a qualquer ajuntamento onde pessoas o invocam, crêem no Seu poder, e pregam a Sua Palavra, para se encontrar vidas sendo libertas de vícios; criminosos, traficantes, homens desonestos e violentos, considerados irrecuperáveis pela sociedade sendo regenerados; perturbados, atribulados e desequilibrados sendo inundados por Sua paz e transformados.

A operação que Ele faz ocorre de dentro para fora, acontece na alma. Jesus Cristo penetra profundamente no íntimo do ser e muda o coração.

As intenções, os desejos, as ambições e os planos que os homens tem para si mesmos são radicalmente mudados, de tal forma, que aqueles que viviam na prática de mentiras, corrupções,  maldades, perversidades e vícios deixam os seus maus caminhos e se tornam pessoas de bem, os que sofrem com transtornos mentais e distúrbios emocionais são curados por completo, e uma nova vida é implantada dentro dos homens, e, assim eles passam a ser novas criaturas:

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” - 2 Coríntios 5:17.

A Palavra afirma que Ele nos deu vida estando nós mortos em nossos pecados: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados” – Efésios 2:1.

O apóstolo Paulo, escrevendo à igreja de Corinto descreve sobre essa linda obra que Jesus Cristo operou no coração de alguns membros daquela igreja.

Ele diz que havia entre eles algumas pessoas que outrora tinham praticado coisas horríveis, pecados tão repugnantes que quem os pratica não herdarão o reino de Deus, mas, essa gente suja foi lavada e se tornou limpa, e eles foram santificados e justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de Deus:

“Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus. Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus” – I Corintios 6:9-11.

Seu nome era Narciso Lemos de Almeida, conhecido no meio da bandidagem como camisa preta. Desde cedo sua vida foi envolvida por toda a sorte de perversidades e maldades. Quando ele tinha catorze anos cometeu seu primeiro crime matando a machadadas seu patrão.  Ao todo, contados, ele matou catorze pessoas, sem saber ao certo quantos mais em tocaias e tiroteios. Foi preso setenta e duas vezes.

Esta fera humana praticou tudo de mal em excesso: odiou, atraiçoou, assaltou, matou, incendiou, devastou, dominou, aterrorizou, andou , correu, fugiu, ocultou-se.

Certo dia, meio embriagado, vagando pelas ruas da cidade de Santos, inesperadamente, ele se encontrou com um antigo colega de crime, tratava-se de Francisco Ferreira da Rocha que lhe falou com coragem e intrepidez sobre a libertação que Cristo havia operado em sua vida, resgatando-o do profundo abismo e lhe dando um novo coração.

Ao ouvir falar de Jesus, e ser desafiado a entregar sua vida a Ele, Narciso Lemos de Almeida ficou tomado de um ódio mortal contra o seu antigo colega de crime,  e  resolveu  matá-lo. Mas, para a sua surpresa, conduzido  pelo amigo, ele se viu diante de um templo.

Ao ser convidado para entrar naquele lugar, ele levava no bolso vinte e cinco balas, na cinta, um revólver carregado e no coração um desejo louco de derramar sangue.

O templo estava lotado, e ele aceitou o convite, entrou e se assentou. Em sua mente, havia um só objetivo, matar aquele homem, e ainda dispersar a tiros todas aquelas pessoas.

Mas, antes que seu plano fosse colocado em execução, um hino começou a ser cantado, logo após, um texto bíblico foi lido e uma linda mensagem  pregada, e a Palavra caiu naquele coração como água fresca ao sedento.  E ali mesmo, naquele templo, o homem que chegou disposto a matar, foi salvo e transformado pelo querido Mestre Jesus.

Narciso Lemos de Almeida, em seu livro "Porque deixei a indústria do crime", assim descreveu a libertação que Cristo operou em sua vida: "Uma mudança radical se efetuou em mim. Tudo me parecia novo, as estrelas tinham um novo brilho, a vida novo motivo e a eternidade uma nova esperança. Cristo me iluminou para a vida e para Deus. Salvação era a realidade que havia se operado em mim. O sangue de Cristo, o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, me lavou e me remiu. Estou salvo. Tenho mais certeza de que nasci de Deus, do que tenha nascido um dia de uma mulher".

Que lindo milagre Jesus Cristo fez, transformando completamente a vida de Narciso Lemos de Almeida.

Morava na cidade de Jericó um homem chamado Zaqueu, que ocupava um alto cargo público, ele era maioral dos publicanos e rico. Esses publicanos compunham uma casta de judeus que trabalhavam para o império Romano como cobradores de impostos. As pessoas os odiavam e os desprezavam pois eles extorquiam e cobravam abusivamente de seus compatriotas.

Zaqueu era um homem infeliz, vivia uma tremenda inquietação, um desassossego invadia seu ser, ele era amarrado aos subornos, prisioneiro da corrupção e da mentira; ele tinha tudo em suas mãos, mas ao mesmo tempo sentia que não tinha nada. Os bens que possuía, e que acumulara durante anos, não lhe davam nenhuma satisfação, ele começou a perceber que nada daquilo podia proporcionar-lhe prazer.

Esse rico cobrador de impostos precisava de algo mais para sua vida, seus dias eram vazios, sua alma não tinha paz, ele necessitava desesperadamente de uma bênção especial, algo que o transformasse completamente.

Um dia ele soube que Jesus passaria por sua cidade, a fama do Nazareno corria por todas aquelas cercanias, e muito se comentava acerca dos milagres que Jesus operava, certamente pessoas dali de Jericó já haviam recebido bênçãos através das mãos do Divino Mestre. As palavras que Ele anunciava revolucionavam corações, mudavam vidas e confrontavam os escribas, fariseus e sacerdotes, que eram os mestres do judaismo.

Jesus era duramente criticado e perseguido por essas autoridades religiosas porque dava atenção aos pecadores e aos marginalizados,  se sentava com os excluídos, comia e bebia com eles, os ouvia, e essas pessoas depois que se encontravam com o Divino Mestre mudavam, eram transformadas pelo Seu poder.

Zaqueu, que era um desses marginalizados pôs no seu coração ver esse homem, quem sabe conhecê-Lo, melhor e ouvir dos seus ensinos, talvez Jesus pudesse até fazer algo por ele, essa era sua grande oportunidade, ele não poderia deixá-la passar.

E então, ele saiu de sua casa, e se embrenhou no meio daquele grande ajuntamento que seguia o Divino Mestre. Zaqueu que era um homem baixinho não conseguia ver com clareza o que estava acontecendo, as pessoas rodeavam Jesus e o apertavam, muitos queriam tocá-Lo, outros queriam falar-Lhe, a enorme multidão atrapalhava Zaqueu, cada vez mais seu coração fervia de expectativa, e, então, ele resolveu fazer algo inusitado e bastante curioso, subiu em uma árvore, sentou em um dos galhos, e ficou esperando Jesus passar. Acredito que muitos riram de sua atitude, outros apontavam para aquele homenzinho enganchado naquela árvore. E o Senhor Jesus veio chegando, se aproximou, e para seu espanto ao passar por aquele lugar,  parou, e olhando para o alto daquela árvore disse: “Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa” – Lucas 19:5.

Fico a pensar no susto que Zaqueu levou, o seu coração deve ter disparado, suas mãos começaram a suar, ele estava arrepiado!

Jesus estava olhando para ele, e o olhar do Mestre entrava em seu coração, era como que se um raio penetrasse em sua alma, e para completar sua perplexidade ele estava sendo chamado pelo nome.  Eles nunca tinham se encontrado antes, mas o Divino Senhor o chamava pelo nome: “ZAQUEU”.  A voz de Jesus deve ter soado como um trovão nos ouvidos daquele homem.

Que coisa espantosa! Jesus sabia seu nome, e se sabia o seu nome com certeza conhecia também todas as particularidades da sua vida, todas as inquietações que batiam forte em seu coração, todas as suas tristezas e desilusões.

Zaqueu atendeu imediatamente a ordem do Senhor, e desceu à toda pressa, desceu rapidamente pois sua necessidade de libertação era imediata, sua situação clamava por um milagre urgente, e, com alegria recebeu o maravilhoso Senhor em sua casa.

Todos os que viram isso murmuravam dizendo que Jesus se hospedara com um pecador, mas, ele estava tão contente em receber o Senhor que nem se preocupou com o que os outros estavam falando, o que importava era a alegria e o prazer que ele estava sentindo em hospedar alguém tão extraordinário como Jesus.

No relato desse episódio o evangelista Lucas não registra que Jesus tenha pregado um sermão ou exortado Zaqueu sobre seus erros e pecados, a única coisa que sentimos que Jesus fez por esse homem foi olhar para ele, dar-lhe atenção, tratá-lo com consideração, e, inundado pelo amor de Cristo, Zaqueu foi transformado, sua disposição interior e suas atitudes demonstraram a todos de Jericó a obra que o Senhor fez em seu coração, veja o que ele disse:  “Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais”  - Lucas 19:8.

Os que ouviram tal declaração devem ter  ficados abismados e impressionados.

Como isso era possível? Nunca naquelas cercanias alguém viu algo semelhante acontecer. A  notícia correu por toda Jericó e região: “O chefe dos publicanos vai restituir quadruplicado de todos os que fraudou, e ele prometeu dar a metade de tudo o que tem aos pobres”.

Você consegue fazer uma idéia de como deve ter sido o dia seguinte naquela cidade?

Imagine a fila que se formou na porta da casa de Zaqueu, uma enorme multidão de pessoas que se acotovelavam, se espremiam, ávidas por receber a restituição quadruplicada de tudo aquilo que ele havia cobrado. 

Junto com todos estes, pense também na grande leva de pobres que chegaram para participar da partilha da metade de tudo aquilo que ele tinha.

Mas, o que importava realmente na vida daquele homem, é que agora ele era uma nova pessoa, um milagre havia acontecido dentro dele. Zaqueu estava abrindo mão de tudo o que tinha para ficar com Jesus. Um sorriso havia tomado conta de sua face, ele podia olhar no rosto das pessoas sem se sentir discriminado e odiado, sua vida havia sido transformada radicalmente pelo Salvador. 

O amor de Cristo derramado em seu coração o havia ensinado de que nada valeria ganhar o mundo inteiro e perder a alma. Ele tinha entendido que os bens dessa terra não poderiam jamais preencher o seu coração e trazer-lhe paz e felicidade.

Se existe alguém que foi realmente transformado e salvo, este alguém foi Zaqueu, as palavras de Jesus atestam tal operação: 

Então, Jesus lhe disse: Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão” – Lucas 19:9.

Que bênção! Que obra Jesus operou! Inacreditavelmente, o corrupto, mentiroso e avarento Zaqueu era uma nova criatura pelo poder de Jesus Cristo.

Diante de tão linda realidade e verdade, eu gostaria muito que você guardasse em seu coração, que não há na Terra homem tão depravado que Jesus Cristo não possa mudar, nem há homem tão perdido que Jesus Cristo não possa transformar, nem tão pouco, há ser humano tão sujo, que o querido Mestre não possa limpar.

O poder de Jesus Cristo é tão grande que Ele, e só Ele, pode purificar o pecador mais terrível, mais cruel, mas abominável, mais infame e mais asqueroso da face da terra, Sua operação penetra até as mais profundas condições de degradação moral e espiritual da raça humana.

Então, se é o seu desejo ser transformado agora pelo Senhor Jesus, vá até Ele, e com o coração aberto se entregue em Suas mãos, e sua vida será mudada para sempre, e algo novo acontecerá de dentro para fora em você. Creia nisso!!!

Translate this Page

ONLINE
6



 

PASTOR NORBERTO

NO FACEBOOK

CLIQUE:

 

 TOTAL DE

PAGEVIEWS

-

9.524.869

 -

 

 TOTAL DE

VISITANTES